No Amapá, é a única capital brasileira cortada pela Linha do Equador.

Por conta disso, pelo menos duas vezes ao ano, os moradores da cidade têm o privilégio de assistirem ao fenômeno chamado de Equinócio, uma manifestação em que os raios do sol, no seu movimento aparente, incidem diretamente sobre a Linha do Equador.

Nesse período, os dias e as noites têm a mesma duração em todo o planeta. A ocorrência desse fenômeno se dá em dois momentos: em março, conhecido como Equinócio da Primavera; e em setembro, chamado de Equinócio de Outono.

A palavra "aequinoctium", vem do latim, quer dizer "dia igual a noite". Representa a passagem do Sol pelo Trópico de Câncer (Hemisfério Norte), atravessando a Linha do Equador e indo incidir pelo Trópico de Capricórnio (Hemisfério Sul), onde é realizado um movimento de vai-e- vem.

Por causa da inclinação de 13º 27' que a Terra sofre, se tem a impressão de que o Sol é que se movimenta, mas na verdade é o Planeta que faz esse evolução. Esse vai-e-vem dura, aproximadamente, no período de 21 de junho a 21 de dezembro.

Para os povos antigos, como os caldeus, fenícios, astecas, maias, incas e egípcios, a posição que o Sol ocupa na linha do horizonte tinha uma grande importância para o dia-a-dia deles.

Era nesta data e nesta exata posição do Sol que eles marcavam o calendário. Era dele que se contava o início para os 365 dias do ano.

Atualmente, é através da ajuda do GPS – Sistema de Posicionamento Global Carmin, instrumento que determina posições geográficas (latitude e longitude) por meio de 24 satélites, que se consegue chegar aos dados astronômicos de localização.

Antes, o homem só conseguia esses dados com a ajuda do sol e das estrelas.

Em Macapá, o Equinócio pode ser observado do Monumento do Marco Zero. Além dos moradores da capital amapaense, o fenômeno costuma atrair estudiosos e turistas.

Em 2001, o fenômeno aconteceu dia 20 de março.

No Amapá, devido a estação chuvosa, o equinócio de março foi batizado como Equinócio das Águas, que se justifica pelo aumento do nível das águas favorecido pela atração astral.

Local de observação: Monumento Marco Zero, Rod. JK, km 02 s/n, Bairro do Zerão.

MARCO ZERO DO EQUADOR

Macapá, juntamente com outras cidades de expressão, são "cortadas" ou "atravessadas" pela Linha do Equador.

A Linha do Equador tem como referencial um marco correspondendo à linha imaginária, o qual divide o Planeta em dois Hemisférios e privilegia Macapá como a única capital brasileira cortada por esse paralelo.

Para contemplação do fenômeno natural "Equinócio", onde pode ser observado através de um obelisco. O fenômeno acontece nos meses março e setembro.

O Monumento Marco Zero com no seu terraço, espaço para show, além de salão para exposição, tem café livraria, lojas para venda de produtos artesanais, etc. Completando todo o cenário, o obelisco, o relógio do sol e um amplo terraço para observações.

O Marco Zero de Macapá está localizado à 5 quilômetros do centro da cidade, com acesso pela Avenida JK. O conjunto é composto por um complexo turístico chamado "Parque Meio do Mundo", que é formado pelo Monumento do Marco Zero do Equador, Estádio Zerão, Escola.

Sambódromo de Artes Populares e a Panela do Amapá.

Nota: A Linha do Equador está representada na bandeira do Estado de Roraima.

Entre em contato com a Sufram-Air

São Paulo - SP11 2865-2247

Manaus - AM92 3248-1151